domingo, 13 de agosto de 2017

O melhor de Julho: O Ceifador e DangeRock

Olá! tudo bem com vocês? Hoje venho falar sobre os livros lidos no mês de julho. O mês passado foi bem produtivo, cumpri a minha meta de leitura mensal, e ainda consegui ler um livro a mais. Dentre este livros selecionei os dois melhores, levando em conta, que um deles fosse um livro nacional, vou tentar sempre fazer desta forma, se possível. Prestigiando assim os autores nacionais.


São eles:





Os melhores do mês:


 O Ceifador - Scythe - Vol. 1 - Neal Shusterman


Sinopse:“A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria… Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade. Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador - um papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a "arte" da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão - ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais -, podem colocar a própria vida em risco.”

Páginas: 448, Gênero: Distopia




O que eu achei: É um livro diferente de tudo que já li em termos de distopia. Inclusive o formato da história, que mescla uma narrativa atual, com as anotações dos diários de coleta dos ceifadores, tornando assim a leitura bem leve e interessante.

Neste livro temos um mundo futurístico criado pela Nimbo-Cúmulo, uma inteligência artificial que acabou com a fome, as doenças, protegeu o meio ambiente da população e gerou empregos...ou seja, criou uma era utópica, pós era da mortalidade, onde a terapia genética permitia aos indivíduos se restaurarem para melhorar sua aparência, e em casos de morte acidental, havia o centro de revivificação para a cura. Mas com o término da morte, houve um gigantesco crescimento populacional, e para conter este fato, nasceu a Ceifa, regida por suas próprias regras, e composta pelos ceifadores, os humanos mais temidos, afinal são eles que determinam quem morre.

Como o grupo de ceifadores é bem heterogêneo, surgem questões como o abuso de poder, corrupção e bajulação, pois cada ceifador tem seu próprio método de escolha nas coletas e atribuição de imunidades. Com isto é óbvio que a população “puxa o saco” deles com regalias, e etc...Mostrando que nem tudo é perfeito onde há poder.  

Neste cenário, dois adolescentes, Citra e Rowan são escolhidos pelo ceifador Faraday para realizarem um treinamento, e se prepararem para o conclave, onde só um será escolhido para se tornar o próximo ceifador, e o outro retornará para sua vida. Mas claro que as coisas não acontecem conforme o esperado.
 




DangeRock - M.S.Fayes


 


Sinopse: Eve McGannon lidera a banda “DangeRock” desde adolescente. Sua voz atrai multidões como um ímã, da mesma forma que sua timidez a impede de confessar seu amor eterno por Brandon Conwell, o guitarrista e amigo de infância que sempre esteve ao seu lado, mas sem nunca percebê-la como mulher. Quando a banda recebe uma proposta irrecusável, o grupo unido se  vê imerso em um turbilhão de sucesso absoluto e suas complicações. Isso inclui um astro musical que desperta um poderoso sentimento de ciúmes em Brandon, ao mesmo tempo em que tenta fazer Eve abandonar suas desilusões e ir em busca de novos sonhos. Eles aprenderão que o coração comanda todos os atos dentro e fora do palco. Basta apenas que sigam os sentimentos através das melodias que eles mesmos entoam. 


Páginas: 288, Gênero: Romance





O que eu achei: A protagonista Eve, uma garota de gênio forte, é a vocalista da banda DangeRock junto com seus três amigos de anos, e apaixonada por Brandon, o guitarrista, mas esconde este sentimento, sofrendo vendo dia após dia ele se divertindo com outras garotas. A banda começa a ter uma maior projeção quando, Mitchell Clay, roqueiro e astro da FunBock, convida o grupo para abir os shows de sua próxima turnê. Onde começa a fazer um dueto musical com Eve, que passa a mostrar outro lado dela, mais sensual, levando Mitchell a se interessar por ela.

Podia ser simplesmente um romance com uma banda de rock, mas a autora aborda temas como drogas, bebidas, as facilidades adquiridas com a fama, falta de privacidade, agressão física, perseguição de fã, e claro nos mostra uma grande amizade entre os membros da banda, que cresce com eles, se mantém e solidifica, mesmo com o sucesso.



Bjos,

Mony

😊